Dicas

ISCAS ARTIFICIAIS – ISCA x VARA

Para quem esta iniciando no mundo das iscas artificiais é muito importante começar a prestar atenção nos detalhes. Ter uma tralha bem balanceada é o que faz a diferença na pescaria.

Para cada tipo de isca existe uma vara ideal para poder trabalhá-la da maneira correta. Haja visto que uma isca artificial não se move, não tem cheiro nem sabor. É totalmente desinteressante aos olhos dos peixes quando inerte. Então cabe a você dar “vida” a essa isca, para que ela desperte o interesse dos nossos tão cobiçados troféus! E para isso um conjunto bem balanceado faz toda a diferença.

Vou tentar passar aqui umas pequenas dicas para você começar a prestar atenção nos pequenos detalhes que farão você ter cada vez mais sucesso nas suas pescarias.

 

camarao artificial

ISCAS SOFT DE FUNDO COM JIG HEAD – São as vedetes dos últimos tempos, se tornando umas das mais usadas por todos pescadores de iscas artificiais. São iscas de silicone ou plastisol dos mais variados tipos. A mais comum é o camarão, que é usado com uma cabeça de chumbo do tipo Jig head. São iscas que trabalham na grande maioria das vezes tocando o fundo. E nesse caso é extremamente essencial você ter uma grande sensibilidade para poder “sentir” a isca e a fisgada do peixe. Para isso a vara a ser usada tem que ser específica para tal. Nesses casos são usadas varas geralmente nos tamanhos entre 6,0″ e 6,6″, isso para a alavanca na hora da fisgada seja maior. Essas varas são do tipo “extra rápida”. Como o nome já diz são varas rápidas, isso ajuda muito na sensibilidade. Uma vez que o pescador da os toques de vara para trabalhar a isca, a vara volta rapidamente ao seu formato inicial, fazendo com que o pescador sinta a isca tocando o fundo. Quanto a libragem (resistência da vara) vai depender muito de onde você vai pescar, seja rios ou costões, condições de maré e profundidade. Quanto menor a libragem mais sensível fica o material. Lembrando que o peso da isca tem que ser equivalente a potencia da vara.

 

isca

ISCAS DE PLUG – Talvez a mais apaixonante pescaria no mundo das iscas artificiais. E assim como nas iscas softs, um material bem balanceado faz a diferença. Nesses casos a vara pode ser mais curta, girando em torno do tamanho 5,3. Uma vez que nesse tipo de isca o trabalho se da na grande maioria das vezes com a vara abaixada. Para essas iscas devem ser utilizadas varas mais “lentas” as ideais são do tipo “média” ou “média lenta”. Isso porque se utilizar uma vara “rápida” você corre o risco de arrancar a isca da água no caso das isca de superfície do tipo stick ou zaras. Uma vara mais lenta também ajuda muito no trabalho das iscas com barbela (que tem a língua de plástico), fazendo com que “nadem” mais suavemente nos toques de vara. Nesses casos a libragem da linha tem que ser compatível com o peso da isca. Observando sempre o equilíbrio para que não use uma linha muito grossa com um plug muito leve, ou visse versa.

Lembre-se: Peixe bom é peixe vivo.. Pratique o pesque e solte!!!

Previous post

Fevereiro 2015

Next post

Aprendendo a trocar ponteiras

Marcelo

Marcelo

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 1 =